Páginas

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

ESTRELA SOLITÁRIA DO FUTEBOL

De repente,
o menino pobre salta na TV.
Faz um gol,
dois, três,
drilha um país inteiro.

Esse menino toma a cachaça do bar
e dá outro drible ofuscante,
anima os olhos,
que lacrimejam de alegria.
Faz a cabeça do mundo,
e é Maracanã, que nunca vi,
que aplaude.

Eu, que sou tão século XXI,
escrevendo em linhas digitais...
Mesmo assim
me comovi com Garrincha,
fazedor de sonho e de magia.

E se eu aqui, perdido,
me comovi,
o que dirão, então, os que estavam lá?
Os que não sabiam se choravam
ou se riam
diante do milagre das pernas tortas,
do vôo sobre a brutalidade,
fazendo arte do que
pros atrasados de hoje é força bruta.

Garrincha,
estrela solitária,
afundado numa garrafa vazia,
encheu nossos olhos,
construiu barricadas contra a tristeza.

Gênio,
desses que existe a cada século,
talvez milênio...
Gênio, desses que se matam,
que partem cedo,
não disseram por que já foram,
mas deixaram bem claro
por que vieram.


Volmir M. G.

3 comentários:

Rodrigo Cardia disse...

Taí o futebol que queremos no blog. Sem partidarismos!
E por enquanto, a maioria é contra. Qualquer semelhança com o eleitorado de Porto Alegre é mera coincidência?

Rodrigo Cardia disse...

Mais um voto reacionário contra o futebol.
Os que votam aqui no RS, não esqueçam de reeleger a Yeda em 2010.

Volmir disse...

lamentável essa votação, heinhô, rodrigo...